palavra viva

A Torá diz: “E houve tarde e houve manhã, um dia”. Isso significa que sem a noite, não há dia; sem noite, não há dia inteiro; sem a noite não há Luz. Um dia! É somente após o entardecer, a noite ou a escuridão que podemos alcançar a Luz. Cada estado, qualquer que seja, tem que começar pelo lado negativo.

MEDONÇA E CARVALHO

MEDONÇA E CARVALHO

FARMÁCIA ECONÔMICA DO TRABALHADOR

FARMÁCIA ECONÔMICA DO TRABALHADOR

Impostômetro

O SIGNIFICADO DA VIDA

AÇAILÂNDIA


contagem

PARIS

PARIS

radio web smille açailândia

terça-feira, 28 de abril de 2015

Mercado amplia previsão de queda do PIB em 2015 para 1,10%

O PIB brasileiro deverá ter queda de 1,10% em 2015, segundo o centro das expectativas (mediana) de economistas e instituições financeiras consultadas pelo Banco Central. Há uma semana esperava-se queda de 1,03%.
Os dados fazem parte da pesquisa Focus, realizada semanalmente pela instituição.
Para 2016, a expectativa dos economistas é de uma recuperação de 1%, a mesma da semana anterior. Pela primeira vez, o valor não será o suficiente para cobrir as perdas apontadas para 2015.
INFLAÇÃO E SELIC
A expectativa é de que a inflação oficial, medida pelo IPCA, atinja 8,25%, mantendo a volta das altas, que tiveram interrupção no dia 10. Há uma semana, esperava-se alta de 8,23%, valor acima da meta oficial de inflação, que é de 6,50%.
Para 2016 espera-se inflação de 5,60%, o mesmo valor da semana anterior.
O IPCA é um dos principais dados levados em consideração pelo governo na hora de determinar a taxa de juros Selic, que atualmente está em 12,75% ao ano.
A expectativa de economistas é que essa feche 2015 em 13,25%, mesmo valor esperado na semana anterior. Nesta quarta-feira (27), o Copom (Comitê de Política Monetária do BC) deve definir a taxa de juros.
Para 2016, espera-se uma Selic de 11,5%, também a mesma expectativa da semana anterior.
TAXA DE CÂMBIO
A taxa de câmbio para o fim de período é de R$ 3,11, o mesmo valor esperado na semana anterior. Para 2016, espera-se uma taxa de câmbio em 3,30%, também o mesmo valor da semana anterior.
Na sexta-feira (27), o dólar à vista, referência no mercado financeiro, fechou com queda de 0,31%, em R$ 2,97.
Folha Press

Procurador de Justiça é denunciado por tentar se vingar de prostitutas ‘exaustas’

Uma confusão com duas prostitutas que se declararam “exaustas” de tanto sexo rendeu ao procurador de Justiça Carlos Roberto Marcos Garcia uma denúncia no Tribunal de Justiça por ter supostamente enfrentado delegados e colegas promotores com objetivo de acabar com um bordel em Botucatu, no inteiro de São Paulo.
As mulheres e demais testemunhas do prostíbulo relatam que o procurador, de 52 anos, visitou a casa em julho do ano passado, ingeriu bebidas e Viagra e, após quase duas horas e oito preservativos em vão, queria sair de lá sem pagar a conta, pois não teria atingido o orgasmo. Segundo o procurador-geral de Justiça, Marcio Elias Rosa, o acusado sacou a carteira funcional ameaçando prender as prostitutas se ambas não fizessem uma “extensão” do programa.
Um dos seguranças da Boate Classe A contou à polícia que Garcia se recusou a quitar uma comanda restante de R$ 400, insatisfeito pelo serviço. Antes, na mesma noite, o membro do Ministério Público já teria chamado a atenção desembolsando R$ 750, ao assistir shows e acariciar seios e partes íntimas das garotas. Ao sair da casa, o procurador, segundo testemunhas, pagou a conta, mas prometeu fechar o local.
“Vadias, vagabundas, gozaram cinco vezes e não tiveram capacidade de me fazer gozar uma única vez”, esbravejou o procurador, conforme o proprietário do estabelecimento, José Silvio Bonfim, em declaração à polícia. Pelo mesmo depoimento, o cliente furioso disse que quem tinha de pagar pelo sexo eram as moças e não ele, pois “sua r… era grande e gostosa”.
Na denúncia feita pela Procuradoria de Justiça, a conduta de Garcia passou para a esfera criminal quando ele tentou cumprir a ameaça feita às prostitutas indo ao plantão policial da Seccional de Botucatu ordenar uma operação que desse fim à Boate Classe A.
A iniciativa inusitada no meio da madrugada gerou desconfiança no delegado plantonista José Sérgio Palmieri Júnior. Foi nesse ponto que o procurador teria tornado a autoridade policial vítima de desacato ao insinuar “que tinha conhecimento de que o delegado mantinha relacionamento com uma das prostitutas da boate”.
Para convencer Palmieri, Carlos teria dito que foi acompanhado de um amigo à casa de meretrício simular um programa e então dar voz de prisão às mulheres. Mesmo desconfiado, o delegado destacou uma equipe até a boate, já fechada, e deu início ao inquérito. Lá, o plantonista apurou a versão das prostitutas e, ao perceber a estratégia do procurador, resolveu ter uma conversa com ele para esclarecer os fatos.
Garcia sentiu que poderia sofrer alguma consequência pela situação, segundo a denúncia da Procuradoria, e cometeu uma nova conduta ilícita. Decidiu imputar ao delegado seccional, Antonio Soares da Costa Neto, o crime de prevaricação (não praticar um dever funcional) porque não estaria investigando as casas de prostituição da cidade. O objetivo seria disfarçar toda a briga na boate, com uma denúncia contra o delegado na Corregedoria-Geral de Polícia.
A situação do procurador, porém, só se complicou em uma escalada de constragimentos entre autoridades à medida que ele acionava mais agentes públicos para o acompanharem na luta contra a prostituição local. Uma delas foi a promotora Julisa Helena Nascimento de Paula, a quem tentou convencer de que o Ministério Público deveria agir rapidamente contra o famigerado cabaré. Não adiantou.
Depois de ser ouvido na Corregedoria de Polícia sobre o delegado seccional, ele foi ao Fórum de Botucatu e, na frente de juízes e promotores em um refeitório, anunciou-se como enviado do procurador Nelson Gozaga, então corregedor-geral do Ministério Público. O incidente foi confirmado por juízes e promotores da comarca que depuseram contra o procurador por terem se sentido ameaçados por um suposto representante do corregedor-geral. Como consequência, Garcia foi denunciado por outro crime, o de usurpação de função pública.
No Fórum de Botucatu, juízes e promotores não sabiam mais o que fazer diante da presença de Garcia. Irritado por não atenderem seus anseios, segundo a Procuradoria, ele passou a desacatar outras autoridades. Ao juiz da 1a Vara Criminal de Botucatu Josias de Almeida Júnior teria dito que ele “compactua com as ilicitudes cometidas pelo delegado seccional”. A outros promotores, teria dito que “o Ministério Público está comendo na mão da polícia”.
Defesa
A reportagem não conseguiu localizar o advogado do acusado, Edson Edmir Velho, mas obteve a contestação apresentada em março contra a denúncia feita pelo procurador-geral de Justiça, em janeiro.
A defesa diz que as acusações de denunciação caluniosa, desacato e usurpação de função pública não são cabíveis. Tanto na delegacia como no Fórum de Botucatu, ” o denunciado estava fora de seu controle psicológico” e “já vinha passando por tratamento psicológico” por distúrbio bipolar. Velho admitiu também que o cliente estava sob efeito de álcool ao procurar a polícia. Por tudo isso, não haveria dolo (intenção) de ofender as vítimas, não ocorrendo o crime.
Sobre a usurpação de função, a defesa sustenta que “a postura do denunciado pode até mesmo ser entendida como deselegante ou desconfortante, ou até mesmo impertinente, mas, nunca, em momento algum, como correcional, afinal não tomou para si nenhuma atividade que fosse de corregedor”.
O advogado pede que seja instaurada uma investigação de insanidade, caso o Órgão Especial receba a denúncia, na sessão desta semana. Velho citou duas ocasiões que poderiam atestar a condição psíquica do procurador. Em uma, o acusado teria tentado se jogar de um prédio no litoral paulista, mas foi “salvo por um pastor evangélico”. Em um velório, o procurador teria dado sinais de loucura ao tentar ressuscitar um morto e pedir que o cadáver se levantasse do caixão.
A Procuradoria-Geral de Justiça nega que o procurador sofra de insanidade mental e assevera que Garcia exerce plenamente suas funções na área criminal, sem nenhuma limitação mental.

Cientista cria teoria para retardar o envelhecimento e diz que vai viver até os 150 anos.

Alex Zhavoronkov, diretor de um centro de biopesquisa sediado no Reino Unido, disse que espera viver até 150 porque descobriu os segredos de como retardar o processo de envelhecimento. A “chave” para isto seria um rigoroso regime de exercícios físicos combinado com medicamentos, suplementos e exames regulares de saúde.
Para viver mais também é preciso evitar o casamento, deixar de ter filhos e abrir mão dos bens materiais. Zhavoronkov destacou que em breve as pessoas terão acesso a vacinas e medicamentos que devem garantir maior longevidade, durante uma entrevista para o The Sunday Telegraph.
— Eu acho que em dois ou três anos teremos soluções farmacológicas eficazes com base em drogas já aprovadas que ajudarão as pessoas permanecem mais jovens e saudáveis até que outros avanços na medicina regenerativa e terapia genética sejam disponibilizados para as pessoas.
De acordo com uma pesquisa do Instituto Nacional de Estatística da Inglaterra citada pelo Daily Mail, um menino nascido no Reino Unido hoje deve viver 78,8 anos e uma menina de 82,8 anos.
R7

Prefeitura Promove Oficinas Participativas Para Discutir a Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico.







A Prefeitura de Açailândia através da Assessoria de Planejamento (ASPLAN) e INSTITUTO IDESA realizou entre os dias 23 e 27 de Abril/2015, 08 oito oficinas participativas para a construção do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).
Nesta segunda-feira (27) foram realizadas as duas 02 últimas  oficinas setoriais participativas na zona rural de Açailândia. 

Na próxima quarta-feira (29), acontece uma Pré Conferencia do PMSB, na Câmara Municipal de Açailândia, a partir das 08h da Manhã.

Onde serão apresentados para a população e para as autoridades locais, os resultados das oficinas participativas, com uma exposição detalhada de todos os dados que foram propostos pelos moradores do nosso município.

As oficinas setoriais dessa primeira fase serviram para debater juntamente com a população Açailandense sobre:

Abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem e manejo de águas pluviais, limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos com aplicação de questionários, onde na oportunidade foram coletados todos os dados primários com as necessidades de cada Bairro da cidade.

Coordenados pela equipe de especialistas do INSTITUTO IDESA, os participantes puderam socializar os problemas relacionados ao saneamento básico e elencar sugestões para solucioná-los.

O PMSB projetará à melhoria da infraestrutura, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo das águas pluviais do município para os próximos 20 anos.

Com o Plano Municipal de Saneamento Básico, o município de Açailândia atenderá a Lei 11.445/2007. E estará apto para no futuro solicitar os recursos federais para o investimento em programas, projetos e execução de obras em serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário, resíduos sólidos e drenagem das águas pluviais.

Depois de concluído, será enviado à Câmara de Vereadores de Açailândia para aprovação e sanção da prefeita, tornando-se lei.


2682/11-J

segunda-feira, 27 de abril de 2015

SÃO LUÍS SEDIA EVENTO DE ESTRATÉGIAS POLÍTICAS.


Acontece no dia 16 de Maio (sábado) em São Luís-MA, a 2ª edição do Curso de Marketing Político Estratégico (governamental e eleitoral). O treinamento tem como foco políticos com mandato ou aqueles que serão candidatos em 2016, assim como as equipes de assessoria, profissionais e estudantes das áreas de comunicação, propaganda,direito, ciências sociais, mídias sociais etc.

Palestrantes

GUSTAVO FLEURY é Jornalista, Consultor político e ex-Assessor de imprensa no Congresso Nacional. Possui formação especializada em marketing político eleitoral e pós-eleitoral. Autor dos livros “Eleições 2006. Do factual ao virtual", "Eleições 2008. O Brasil e o Efeito Obama'', “Eleições 2010. Fatos reais, estratégias eletrônicas e ações profanas" e ''Manual de Campanha Eleitoral''. É também professor e palestrante em vários locais do país.

HENRIQUE CÉZAR BARROS,  Fundador e Diretor de Projetos da HC7 PESQUISA E INTELIGENCIA DE MERCADO. Graduado em Psicologia pela Universidade Mackenzie e Administração pela ETFG/ BMUKK Austria. Tem experiência em mais de 10 anos com pesquisas em diversos municípios de todo o país. Moderador de grupos de discussão. Coordenou e gerenciou importantes campanhas. Foi professor de Empreendedorismo e realiza palestras sobre a importância da ferramenta pesquisa nos trabalhos de marketing.

Informações gerais sobre o evento (local, professores, temáticas etc) - http://www.gugafleury.com.br/#!saoluis/ckhq
Vídeos com trechos dos últimos cursos



Vasco vence primeira decisão e inverte vantagem

Um gol de Rafael Silva, nos acréscimos, garantiu a vitória do Vasco sobre o Botafogo, por 1 a 0, na primeira partida da decisão do Campeonato Carioca. O resultado fez a equipe de São Januário reverter a vantagem que pertencia ao rival. Agora, é a equipe cruz-maltina que precisa apenas de um empate no próximo jogo para quebrar seu longo jejum e conquistar o título estadual após 12 anos.
A partida foi muito movimentada, com as duas equipes buscando o gol desde o primeiro minuto. O Botafogo teve as melhores oportunidades, mas seus atacantes não souberam colocar a bola nas redes de Martín Silva. O Vasco teve o mérito de nunca desistir e acabou premiado pela persistência na busca do resultado.

Presidente promete novo pacote de privatizações em dez dias

A presidente Dilma Rousseff deve anunciar o novo pacote de concessões dentro de dez dias, antes da viagem à Europa para as comemorações pelo aniversário do fim da Segunda Guerra Mundial. O tema das privatizações foi discutido pela presidente com os ministros do setor de infraestrutura em reuniões setoriais, ao longo do último sábado. No encontro, cada ministro apresentou à presidente, acompanhada de toda a equipe econômica e representantes dos bancos públicos, a relação dos projetos com demanda do setor privado.
Ficou acertado, segundo interlocutores, que o governo anunciará no prazo estipulado, o programa das concessões, dentro das necessidades de ajuste fiscal.
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, terá a palavra final. Ele avisou aos ministros que não há dinheiro disponível do Tesouro, e que os financiamentos dos bancos públicos na nova rodada de privatização serão menores. Não haverá negociação direta entre os interessados nos leilões e o BNDES, por exemplo. Tudo passará pelo crivo da equipe econômica, disse uma fonte.

Vereadores inventam despesas e ganham mais de R$ 85 mil/mês

Boa Vista, Roraima, a sessão da Câmara, mostrada no vídeo acima, tem os vereadores mais caros do Brasil. Ela durou 20 minutos. As sessões acontecem duas vezes por semana. São 21 vereadores. Cada um deles pode custar ao contribuinte mais de R$ 85 mil por mês. “Nosso salário como vereador está defasado”, diz o presidente da Câmara de Boa Vista, Edilberto Veras (PP), ao Fantástico.
O salário é de R$ 12 mil, mas quem participa de comissões especiais ganha um extra de R$ 9 mil. A verba de gabinete, para pagar assessores escolhidos pelo vereador, é de R$ 30 mil. E ainda tem a verba indenizatória, de R$ 35 mil para cada vereador.

domingo, 26 de abril de 2015

NOTA DE ESCLARECIMENTO


Em virtude de uma grande procura e muitas especulações por parte dos fãs, vimos em público esclarecer que a “BANDA BAETZ”, apesar de todo sucesso, inclusive alcançando um reconhecimento nacional, foi desintegrada em 2012, DEIXANDO DE EXISTIR OFICIALMENTE.
Recentemente, está sendo lançado o cantor Kevin BAETZ, pelo fato de Kevin ter sido o cantor carro chefe da BANDA pelo período de existência da mesma.
Desejamos que o sucesso acompanhe Kevin BAETZ e toda a sua equipe.

Atenciosamente, 2M PRODUÇÕES


Crise no pólo siderúrgico de Açailândia é debatida em audiência pública.


A Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Maranhão realizou na última sexta-feira (24) audiência pública para debater a crise que assola o pólo siderúrgico no município de Açailândia.

O evento que ocorreu no auditório do Centro Empresarial de Açailândia reuniu, além dos deputados Junior Verde (PRB) e Marco Aurélio (PC do B), representantes da iniciativa pública e privada, bem como da sociedade civil organizada.

Iniciando os trabalhos o deputado Junior Verde, autor da proposição que instituiu a Comissão, agradeceu o empenho de todos que possibilitaram a visita às siderúrgicas da região. “Foi fundamental para entendermos a dimensão do impacto da crise no setor”, disse.

O deputado professor Marco Aurélio externou sua preocupação com relação à perda da mão-de-obra local, o déficit econômico na região e no Estado. “É uma situação em que todos saem perdendo e temos que, imediatamente, buscar soluções”, ressaltou.

Representando o governo do Estado, o secretário adjunto da Casa Civil, Helio Soares assumiu o compromisso de se unir à luta, além de possibilitar audiência com o governador Flavio Dino (PC do B) envolvendo todas as entidades representativas do setor com a finalidade de encontrar alternativas no sentido de amenizar a situação.

“É uma questão muito importante, pois mexe com o desenvolvimento de uma região que contribui muito com o PIB brasileiro. Já falamos com alguns senadores maranhenses para que se mobilizem junto ao governo federal nessa luta”, afirmou.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Siderurgia do Maranhão, Jarles Adelino, pontuou que a presença da Comissão em Açailândia representa a proximidade entre governo e a população. “Estamos empenhados na luta por melhores condições de trabalho e rendimentos. É o momento de unirmos forças para reverter esse quadro. E o legislativo é a porta de entrada dessas soluções”.

Claudio Azevedo, presidente do Sindicato das Indústrias de Ferro Gusa do Estado do Maranhão (Sifema), lembrou que o setor vive um momento de sacrifício tentando manter os empregos dos trabalhadores.

“As indústrias diversificaram a produção. Algumas produzem cimento com a escória [matéria-prima formada de impurezas como calcário e sílica advindas do processo de redução do ferro gusa] e outras produzem energia através dos gases, gerando assim outra fonte de renda”, argumentou.

A prefeita de Açailândia, Gleide Santos (PMDB), e o secretário municipal da Indústria e Comércio, Gilson Meneses, apresentaram algumas medidas adotadas pelo governo municipal de fortalecimento do ambiente empresarial para as micro e pequenas empresas. 

Por meio de Decreto, a prefeitura municipal regulamentou as atividades de risco, agilizando as liberações de Alvarás de funcionamento, além de ampliar e criar o parque industrial de Açailândia para as micro e pequenas indústrias.

A gestão municipal reduziu, ainda, a carga de ICMS em mais de 30% e anunciou o lançamento para os empresários do município do Programa de Compras locais, promovendo maior circulação de recurso.

ENCAMINHAMENTOS

No encerramento da audiência, o presidente da Comissão, deputado Junior Verde, destacou que a visita às siderúrgicas e o debate entre as entidades envolvidas foram satisfatórios para traçar um panorama da situação em que se encontra o setor siderúrgico em Açailândia.

Dentre os encaminhamentos sugeridos foi anunciada a criação de um Comitê de Crise envolvendo prefeitos e entidades afins; a liberação do crédito de ICMS e a renovação das licenças de operação por parte do Executivo Estadual.

A liberação do Reintegra, benefício que permite a empresa ganhar maior margem nas vendas ao exterior, também está sendo pleiteado no âmbito nacional.

Junior Verde afirmou que será elaborado em relatório contendo todas as reivindicações sendo entregue ao governador Flavio Dino tão logo esteja pronto.
“É preciso que o governo crie as condições para poder atrair investimentos para o Estado. Tenho certeza que o Executivo dará sua contribuição e a Assembleia se unirá nessa luta em favor dos trabalhadores maranhenses”, disse Junior Verde.

PRESENÇAS

Além do presidente da Comissão, deputado Junior Verde , estiveram presentes o deputado Professor Marco Aurélio, o secretario adjunto da Casa Civil, Helio Soares, representando o governo do Estado, a prefeita de Açailândia, Gleide Santos (PMDB); o secretário da Indústria e Comércio de Açailândia, Gilson Meneses; a vereadora Fátima Camilo e o presidente do Sindicato das Industrias de Ferro Gusa do Maranhão, Claudio Azevedo.

Participaram ainda, o presidente da Associação Comercial de Açailândia (ACIA), Vanderlei  Trombela; o presidente do Clube de Diretores Lojistas (CDL), José Melgaço; o presidente do Sindicato do Comercio de Açailândia (SICA), Djalma Chaves; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Siderurgia do Maranhão, Jarles Adelino e o representante da Confederação Nacional dos Metalurgicos, Louricardo de Oliveira.

A gerente regional do Sebrae de Açailândia, Rosilene Tavares, e o presidente da OAB, seccional de Açailândia, Erno Sorvo e o gerente de operações da VALE, Pedro também estiveram presentes.


http://www.al.ma.leg.br/not.php?id=31413

Vinícius Louro defende acordo para solucionar crise no setor siderúrgico.


O deputado estadual Vinicius Louro (PR) esteve na Comissão Especial que tenta reverter à crise da siderurgia no Sul do Estado com os deputados Júnior Verde (PRB), e Professor Marco Aurélio (PC do B).  Eles visitaram na tarde da última quinta (23/04) as cinco maiores indústrias do setor na região. Eles conheceram o funcionamento das atividades e ouviram os problemas de empresários e trabalhadores.

 A expectativa é reunir informações com o objetivo de buscar alternativas para evitar mais demissões e garantir o funcionamento das indústrias.

Representantes das quatro indústrias visitadas – Aciaria, Viena, Pindaré [do Grupo Queiroz Galvão] e Gusa Nordeste – concordam que a crise no setor deve-se, principalmente, a crise mundial.

Segundo dados do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas de Açailândia (STIMA), desde o início da crise, as empresas já reduziram em cerca de 30% sua capacidade de produção. “Cerca de 1 mil trabalhadores já foram demitidos no setor nos últimos anos de forma direta e 5 mil indiretamente”, pontuou Jarlis Adelino presidente do STIMA.

Nas demais indústrias, os parlamentares conheceram o processo de produção e também constataram os sinais da crise. Em todos os complexos visitados, houve redução significativa no quadro de funcionários. “É uma situação grave, e que precisa ser vista com urgência, antes que as demissões continuem. Nossa empresa possui duas usinas em Açailândia, mas apenas uma está funcionando”, revelou o diretor de uma das maiores indústrias de ferro gusa do Brasil, com uma unidade operando no Maranhão, Fernando Rangel.

Para o deputado Vinicius Louro a Comissão tem o importante papel de levar junto ao Governo as propostas do setor siderúrgico para que a crise seja solucionada e defendeu pacto entre empresários e Governo do Estado. “Não podemos cruzar os braços diante desta crise que se instala. Vamos buscar com o nosso governador Flávio Dino, medidas urgentes, como a redução do ICMS dessas empresas, que passam por sérias dificuldades. Estamos aqui para defender os anseios do nosso povo, e estamos engajados nessa luta para alavancar a produção industrial dessa importante região do Maranhão”, garantiu o deputado Vinicius Louro.

A Comissão realizou, ainda, Audiência Pública com os vários segmentos do setor siderúrgico buscando encaminhamentos a serem levados ao governo do Estado.

Deputado Júnior Verde visita siderúrgicas em Açailândia.


Assecom/ Dep. Júnior Verde

Em continuidade à agenda de trabalho da Comissão Especial que tenta reverter a crise da siderurgia no Sul do Estado, os deputados Júnior Verde (PRB), Vinícius Louro (PR) e Professor Marco Aurélio (PC do B) visitaram na tarde da última quinta (23), as cinco maiores indústrias do setor na região. Eles conheceram o funcionamento das atividades e ouviram os problemas de empresários e trabalhadores.

Na primeira empresa, pioneira no ramo de montagem no Estado, a comitiva percorreu as instalações e conheceu a realidade que se abateu no setor. Segundo o diretor Moacir Lima Ferreira, em apenas um ano, cerca e de 600 funcionários precisaram ser demitidos. “Nosso quadro era de 800 colaboradores, hoje temos apenas 200 operando, apenas para não fechar as portas”, lamentou.

Nas demais indústrias, os parlamentares conheceram o processo de produção e também constataram os sinais da crise. Em todos os complexos visitados, houve redução significativa no quadro de funcionários. “É uma situação grave, e que precisa ser vista com urgência, antes que as demissões continuem. Nossa empresa possui duas usinas em Açailândia, mas apenas uma está funcionando”, revelou o diretor de uma das maiores indústrias de ferro gusa do Brasil, com uma unidade operando no Maranhão, Fernando Rangel.

O deputado Júnior Verde afirmou que a Comissão fará o seu papel de interlocução com o Governo do Estado. “A solução dessa crise não está nas mãos do Governo, mas há muito que pode ser feito. Vamos buscar do Governo medidas urgentes, como a redução do ICMS dessas empresas, que passam por sérias dificuldades. Estamos aqui para defender os anseios do nosso povo, e estamos engajados nessa luta para alavancar a produção industrial dessa importante região do Estado”, garantiu o parlamentar.


NOTICIAS DO GOOGLE

Loading...

seta

seta

CONTATO DO BLOG:Folha de Cuxá

Josinaldosmille@hotmail.com

Colunaemfolhadecucha@gmail.com

Telefones:(99)8157-6879 //(99)-9175 - 2799

BLOGOSFERA