palavra viva

“LEVANTAI OS OLHOS E OBSERVAI AS ALTURAS: QUEM CRIOU TUDO ISSO? FOI AQUELE QUE COLOCA EM MARCHA CADA ESTRELA DO SEU INCONTÁVEL EXÉRCITO CELESTIAL, E A TODAS CHAMA PELO NOME” (ISAÍAS 40:26)

DOAÇÕES

DOAÇÕES

DOAÇÕES

Obrigado a todos que mensalmente mostram seu apoio para O BLOG FOLHA DE CUXÁ. Lembre-se de fazer uma doação de qualquer valor R$ para a continuidade do nosso trabalho. Qualquer quantidade de apoio financeiro neste momento será direcionada para cobrir despesas e manutenção. Agradeço antecipadamente...obrigado a todos que mostraram seu apoio para o nosso trabalho!

O SIGNIFICADO DA VIDA

quarta-feira, 27 de julho de 2016

“O Blefe Do ‘Bem-Estar’ Ocidental”.


Nas Notícias (stoletie.ru): “A frase ‘crescimento econômico’ – uma das mais comumente usadas ​​no léxico dos economistas liberais. Ao mesmo tempo, ela é habilmente usada por políticos e estadistas do Ocidente para repartir ao preto e branco e vice-versa. O termo ‘crescimento econômico’, bem como as estatísticas usadas para medi-lo, a muito tempo tem sido o meio para manipular a consciência pública. E também o meio de cobrir as políticas destrutivas e até mesmo suicidas do ‘bilhão dourado’ na economia. …

“Você pode confiar em indicadores do produto interno bruto (PIB) e outros indicadores semelhantes, medir o crescimento econômico? - Definitivamente não. Em primeiro lugar, há a prática difundida de manipular e fraudar estatísticas. Particularmente bem-sucedido nesse serviço estatístico estão os EUA. … Em segundo lugar, a alteração do método de cálculo do PIB, como um ‘produto’, inclui todos os tipos de ‘serviços’ duvidosas. Como resultado, a estrutura do PIB dos Estados Unidos, a economia real (indústria, agricultura, construção) responderam por um pouco mais de 1/5; o resto: serviços. Sim, existe, é claro, serviços vitais, por exemplo, transportes e comunicações. Mas, pelo menos metade do PIB total dos EUA, de acordo com nossas estimativas, é ‘ar’.

“Com o ‘ar’ e todos os tipos de adições, os serviços de estatística nos EUA e outros países do ‘bilhão dourado’ conseguem ‘pintar’ ‘dinâmicas positivas’ de suas economias….

“Qualquer um, mesmo um economista principiante, sabe que empresas, corporações, outras entidades empresariais têm ativos e passivos. Ativos – propriedade e vários requisitos (por exemplo, requisitos de empréstimos, bens entregues, etc.). Passivo – acima de tudo, as várias obrigações (por exemplo, as obrigações de serviço e reembolso de empréstimos, o pagamento das mercadorias, etc.). Mesmo aqueles que estão longe da economia e contabilidade estão bem cientes de que se os compromissos (em outras palavras, as dívidas) começam a superam os ativos, uma empresa enfrenta falência.

“Surpreendentemente, em relação aos países, uma abordagem tão simples e intuitiva da avaliação da sua situação econômica é raramente usada. Especialmente os chamados países ‘economicamente desenvolvidos’. Nesse meio tempo, ou eles já estão falidos ou estão em vias de falência. Mas muito poucos percebem isso. O problema é muito simples: aumentos da dívida dos países ‘economicamente desenvolvidos’ têm ao longo dos anos excedido o seu crescimento do PIB. Em outras palavras, o aumento nos negócios da dívida em uma entidade chamada ‘país economicamente desenvolvido’ excede em muito o crescimento de seus ativos. A frase ‘crescimento econômico’ em relação a esses países parece mais do que estranho. Esse ‘crescimento econômico’ é com um sinal de ‘menos’.

“Agora dados específicos. Eu os pedi emprestado do famoso economista, empresário e político finlandês, Hellevig Jon (Jon Hellevig). Ele é um dos poucos economistas estrangeiros que expõe a falsificação da economia e estatística ocidental e mostra que os países dos EUA, da UE e de outros países do ‘bilhão dourado’ – estão completamente falidos. A imagem mais generalizada da economia ocidental até 2013. Hellevig dá em sua obra ‘Estudo Do Awara Group Sobre O Crescimento Real Da Dívida Líquida Do PIB’. Ele contém cálculos de PIB real, ajustado pelas variações de débito. ’O ajuste é muito simples: a medida oficial do crescimento real anual (ou seja, alterações de preços ajustados à inflação) do PIB é subtraída do crescimento da dívida do país para o mesmo ano. Esse será o crescimento do PIB ‘mais real’. No entanto, logo ele vai ser um ‘muito real’, ou o atual declínio do PIB. …

“Em todos os países ocidentais, o aumento anual da dívida nacional é várias vezes maior do que as taxas de crescimento anual do PIB. Hellevig dá os seguintes valores para o período 2004-2013. O aumento da dívida nacional dos EUA para a década foi de 9,8 trilhões. USD, e crescimento do PIB: … cerca de 2 trilhões de dólares, assim excedendo o crescimento da dívida sobre o crescimento no PIB dos EUA cinco vezes. …

“A julgar pelos números, que são listados na obra de Hellevig, países como Dinamarca, Reino Unido, Suécia, Espanha e vários outros países, têm estado, na verdade, em falência. E países como os EUA, França e Itália, já estão perto dela.

“A sua falência e a existência parasitária devido ao alinhamento contínuo da pirâmide da dívida dos países do ‘bilhão dourado’ são folhas de figo usadas para cobrir as estatísticas oficiais do PIB. …

“A ilusão de ‘bem-estar’ e um ‘nível elevado’ de desenvolvimento econômico nos países do ‘bilhão dourado’, são apoiados não só por uma estatística astuta. O meio principal – é o empréstimo enorme, e em constante crescimento, do resto do mundo.

“Realizar esse empréstimo deve-se ao fato de que os países ocidentais têm a ‘imprensa’, criando quantias astronômicas de dinheiro. Convergindo com isso, o dinheiro ‘imprimido’ é utilizado não só e nem tanto para uma operação dentro dos países do ‘bilhão dourado’, mas para a aquisição de bens e serviços em todo o mundo. Ultimamente, o dinheiro se acumulou nas reservas internacionais dos países da periferia capitalista mundial. As notas promissórias sem data e quase não decorrentes de juros do Ocidente não serão pagas. …

“Em conclusão, podemos citar algumas estatísticas, revelando os segredos da ‘prosperidade econômica’ dos países do ‘bilhão dourado’.

“A Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos mantém regularmente registros da dívida externa de quase todos os países do mundo (cerca de 200 países são levados em conta).

“Segundo os últimos dados da CIA, em 2012 a dívida externa do mundo era igual a US $ 70,60 trilhões. (Mais ou menos comparáveis ​​ao tamanho do PIB global).

“Os países na primeira linha da tabela da CIA: EUA – US $ 18,85 trilhões; União Europeia – 17,95; Japão – 3,02; Suíça – 1,54; Austrália – 1,48; Canadá – 1,33. A dívida externa total desses países do ‘bilhão dourado’ era de 44,17. Isso é 62,6% da dívida mundo. …

“Tem-se o seguinte quadro: quanto maior o nível de dívida externa do país, menores são as suas reservas cambiais. E vice-versa: quanto maior as reservas de câmbio, menor o nível da dívida externa. Tudo isso reflete claramente a natureza parasitária dos países que usamos para referir à categoria de ‘países economicamente desenvolvidos’”.

Tudo está dependendo de uma futura guerra mundial que irá ‘apagar’ tudo ou o reconhecimento da necessidade de uma verdadeira reconstrução do indivíduo e da sociedade, e não a economia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

obrigado pela sua participação grato
por sua visita!...e fique a vontade para opinar.

seta

seta

CONTATO DO BLOG:Folha de Cuxá

josinaldosmille@hotmail.com

colunaemfolhadecucha@gmail.com

Telefones:(99)98157-6879 //(99)-99175 - 2799

BLOGOSFERA